Páginas

segunda-feira, 24 de março de 2014

A primeira semana do semestre

Essa semana começaram as aulas da nossa faculdade (eu e o Felipe fazemos o mesmo curso). Por algumas semanas eu sofri por antecipação, achando que ia ser muito pesado o retorno as aulas.
Decidimos que o melhor seria nós dois reversarmos os cuidados com ele. Depois de quebrar a cabeça para encaixar os horários certinho. Montamos um mega esquema de trocas, tudo muito bem planejado.
E como foi? Um sucesso!
Super cansativo, mas deu bem certo.
Na segunda a minha aula é pela manhã, deixei o almoço pronto e eles foram me buscar o Davi já estava dormindo. Peguei ele o carro e fomos para casa, segunda ele fica em casa com a mamãe a noite e o pai vai pra aula.
Terça era aula a noite, Felipe tinha as duas primeiras e eu as duas últimas começando as 20:00. Dei janta, banho e peito e fomos. Quando eu cheguei na UFSC ele já estava dormindo, fizemos a troca de carro e o Felipe conseguiu tirar ele dormindo e assim ele ficou quando eu cheguei as 23:30 de ônibus. Na quarta eu não tinha aula, ufa! Quinta o esquema era o mesmo de terça, só que ele acordou, rá! Não chorou, o Felipe conseguiu fazer ele voltar a dormir mas ele acordou de novo e saiu engatinhando. Como eu perdi o segundo ônibus eles foram me buscar no terminal do nosso bairro. Chegando em casa dei peito e ele dormiu.
Sexta era a prova de fogo do Felipe! De tarde ele tem natação no centro, depois da natação eles me deixaram na faculdade. Teoricamente a aula seria das 18:30 as 22:00, eles foram pra casa e eu fiquei. Teve janta, banho e aí a minha aula acabou! hahaha Os meninos vieram me buscar e fomos pra casa, nisso ele já dormiu no caminho.
Eu fiquei muito feliz com o resultado, primeiro porque ele o Felipe estão com um vínculo enorme e segundo porque eu também gostei de retomar a minha vida acadêmica. Foi ótimo voltar a estudar, rever os amigos.
Veremos como serão os próximos capítulos!


Foto que o papai me mandou pelo whats para provar que estava tudo bem ;)

terça-feira, 18 de março de 2014

Davi Facts #15

Está quase andando sozinho. Já se aventura solto em pequenas e médias distâncias. Em breve deves estar por aí todo bípede. 

Fala sem parar! Num idioma completamente seu, cheio de entonações e tudo. Eu acho mais sensacional que andar.

Palavras do seu dicionário: mamaim (eu), mamã (peito ), bá (pai), ti (aqui), tai (sai), bô ( acabou), dê ( cadê). 

Dá ordens!!! Pricipalemnte pra gwen. Manda ela vir aqui, manda ela sair. Ela apenas olha e ignora.

Essa é super nova: faz nhami nhami pra comida ou quando quer comer. 

Vai para porta pedir para passear.

E agora fica  algumas horas sozinho com o papai a noite e durante o dia, enquanto eu vou para aula e academia. Essa vai render um post a parte.

Mama de uma a duas vezes por noite.
 
Tá lindo, tá esperto, tá um amor!


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Pelo direito de escolher [Blogagem coletiva: Coração Materno]

Primeiramente quero linkar um texto muito bom da Isa do Para Beatriz: Vamos falar de escolhas

E quis aproveitar o clima para além de fazer uma reflexão relatar aqui o dilema que vivi nos últimos 4 meses. Então voltando a novembro:

Eu vi a nós e o Davi crescer dentro e fora de mim num tamanho que eu não estava preparada. A vontade de trabalhar era imensa. O tempo cada vez menor e o Davi cada vez mais exigente de atenção. Em paralelo eu decidi retomar a faculdade. Pensei aí mesmo que eu não terei tempo pra nada. Decidimos então que o Davi ia para a escolinha. Após escolher, visitar e pensar. Achamos que a melhor seria a escola C. Mas eu não fiquei segura, meu coração ficou na mão como se algo estivesse errado.

Em Janeiro:
Refizemos nossas contas e a escola C não cabia no nosso bolso. Só abriram 4 vagas na pública e mesmo assim aquilo não parecia ser algo tão necessário assim. Mas o trabalho só aumentava e demandava cada vez mais. Bom né?! Isso é o que toda empreendedora quer, mas o Davi queria a mãe. A escola parecia a solução. Só 1 amigo do Davi e ele não iriam começar a escola nesse ano. E eu me senti pressionada cada vez que o assunto surgia.
Se ele não sabia dividir - escola é bom pra isso.
Se eu estava cansada - na escola eu teria tempo
Se ele ainda não anda - na escola terá estímulo e logo andará
E eu ia ficando cada vez mais acuada, o que não é do meu feitio. Mas acabei conversando com uma amiga que leva sim a bebê na escola esporadicamente e ela me disse: se tu achas que ainda consegues ficar, melhor.
Eu perguntei a outra amiga: como te sentes sabendo que todos menos o J não vai para escola? Ela me disse: não sinto nada.

Já em Fevereiro:
E depois de muito pensar, eu me acalentei. Sabia que ainda não é a nossa hora da escola. Eu escolhi empreender para ficar com ele em casa. O Davi ainda precisa da louça dele e comida separada sem contato com leite. Não é um risco que nós queremos correr agora. Ele vai andar, quando chegar a hora. Ele vai aprender a dividir e eu já estou menos cansada.

Eu não disse que sou melhor que quem coloca na escola.
Eu não disse que a escola faz mal.
Eu não disse que é errado colocar na escola para conseguir fazer as coisas.
Mas ao mesmos tempo eu gostaria de ser respeitada por fazer diferente.
Eu gosto de uvas, mas posso ser amiga de quem gosta de morangos. Certo?

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Davi Facts #14


Tô inspirada e faz tempo que eu não conto sobre o desenvolvimento do Davi aqui. Então resolvi resgatar essa sessão aqui no blog. Ele faz 14 meses só na sexta mas tá valendo.


  • Começou a comer a mesma comida que eu no almoço (um pouco tarde talvez). Tem sido muito divertido para nós dois e ele tem gostado.

  • Agora ele me ajuda na cozinha, coloco uma cadeira (eu fico de olho, juro!) lavamos a louça juntos ele me ajuda a cozinhar e prova os ingredientes. Já comeu tomate de lata cru, cenoura, brócolis, couve-flor e cebola! 
 
  • Deu os primeiros passos! No aniversário da amiga Catarina, teve foto e tudo. Foi muito emocionante porque foi super espontâneo eu quase chorei.  Acredito que um grande estímulo foi ver seu amigo Ben andando lá na festinha #BFF's
  • Tem muitos dentes! De leite só faltam os 4 molares.
  • Se comunica muito bem falando apenas: dá, mãmã, banana e aba. As vezes até eu fico surpresa como ele consegue ser tão explicadinho sem falar nada.
  • Tira uma soneca só de 2 a 2 horas e meia. 
  • Me imita o tempo todo, sabe todas as modalidades de limpeza: lavar, enxugar, varrer, aspirar. Calça sapatos, faz um hang loose Davi style. Que é basicamente um tchau só que com um balançar diferente.
  • Ama a praia, ama o mar, ama piscina. Está 100% adaptado a água, faz bolinhas e mergulha de própria vontade.
 
  • Adora escalar 
 

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

A vida fora da bolha

Eu queria postar sobre as férias, sobre alimentação e sobre desmame noturno. Mas esse texto caiu na minha frente, me encheu de inspiração e bateu com uma fase de conflito que eu estou vivendo no momento.
Durante um ano eu me entreguei ao Davi 120%, eu esqueci completamente de mim. E pensei só nele, na minha lista de prioridades ocupou todas as posições. Durante um bom tempo ser "só" mãe me satisfazia, eu não me importei com o que vestir, se comia ou se dormia o suficiente.  Foi importante para nós dois essa fusão. Aprendemos muito juntos.
Com o passar dos meses dentro de mim foi crescendo o desejo de existir. Vontade de fazer coisas só pra mim, saudades de quem eu era antes de ser mãe. Saudades dos meus amigos de antes, dos assuntos deles e de tudo que não tem nada a ver com picos de crescimento, amamentação, parto. Foi aí que eu me dei conta, um papel não exclui o outro! A Laís mãe tem que conviver com todas as outras facetas da Laís e não expulsá-las. Ninguém é de ferro!!
Então que eu coloquei como meta para 2014 aprender a dividir melhor meu tempo com todas as pessoas e coisas que  amo. Amigas do grupo x, y,z, Felipe, meus pais, família, trabalho, estudos, atividade física...
E focada nisso passei a procurar pessoas que eu tinha saudades e elas corresponderam super bem, junto com isso veio meu projeto de voltar as aulas (já estou matriculada). Ficarei fora duas noites por semana, nesses dias o Felipe é que vai ficar com o Davi. Aproveitando isso iniciei a "adaptação" dos dois saindo por um período de 3/4 horas e deixando os dois sozinhos.
Até agora só teve 1 noite, eles passaram um perrengue (tudo dentro do normal) mas eu aproveitei um monte. Matei a saudades das minhas amigas, conversamos sobre as viagens delas, namoros, roupas, cabelos. Enfim tudo que não envolvia o universo de mãe e foi muito bom, arejei a cabeça e recarreguei as energias para o resto da semana.
Sim é possível ser mãe e não deixar a vida de lado, tudo com o seu tempo e dosagem certa.

O grudinho é o de sempre <3