APLV - Reintrodução

No último episódio da nossa saga eu tava fora da casinha com a liberação do médico.
Ponderei muito, fui a pessoa mais bipolar do mundo por duas semanas. Um dia eu acordava certa que não ia testar, que não valia a pena. No outro eu acordava cheia de esperança, Ah se ele fosse tudo um mal entendido e ele nunca tivesse sido alérgico e sim reação aos montes de remédios.
O teste nunca foi sinal de cura, nem eu nem médico nunca cogitamos uma cura antes de 6 meses de idade. Era só uma conclusão de diagnóstico, se confirmado o diagnóstico o roteiro é 6 meses de dieta sem NENHUM furo. Se furar, zera a contagem dos meses e vai até 6 novamente. E o furo não é só na comida é no toque também. Então eu vou ficar bem neurótica, bem mais. E um novo teste não será feito antes de um ano de idade. Esse é o protocolo.
Me muni de conhecimento, fé e me preparei. Num belo domingo ( 19/05) fui no sushi.
Comi 2 com creamcheese que passaram igual pedra na garganta. Já que tinha começado ia até o fim. Recomendação do Gastro 1 semana de derivado de leite e leite. Não eu não tive coragem de tomar um copo de leite. Já passei muito mal comendo queijo e leite nas preparações de bolo.
Mantive minha casa limpa, sem traços. Não contaminei uma louça.
Foi uma semana gastronômica: sushi, calzone, açaí, pizza, cupcake, docinho. Tá foi ótimo.
Foi ótimo sentar num restaurante com a minha família, foi muito bom comer coisas boas que eu tava com saudades. Foi melhor ainda voltar ao convívio dos meus amigos. Mas foi horrível a insegurança, tudo tinha cara de reação. Tudo era medo. Mas dos males o menor. O Davi reagiu sim, refluxo, muito refluxo. Vômitos a jato! Fiquei lavada de leite várias vezes, coisa que nunca mais tinha acontecido. O Soluço também voltou a dar as caras. Manchinhas vermelhas, áreas ressecadas. No sábado eu já tava certa que tinha que parar. Mas enfim, já que comecei, fui até o final. Ontem mandei e-mail pro Gastro, contando tudo isso que eu to dizendo aqui e ele respondeu assim:

"Oi  Lais
Aparentemente os sintomas são bem exuberantes.Volte à dieta de restrição e mê dê noticias em 1 semana."

Vamos voltar a dieta, já encomendei meio quilo de mandiokejo junto com a Maria, vou me dedicar as receitas. Vê seu eu compro umas marmitas pra facilitar as saídas. Agora é foco nos cuidados.


Nós no sábado, no encontro das doulandas da Cris




Enxoval Parte 2 - O Quarto, enfeites e tal

Parte 1

Quando se está grávida pensamos muito no quartinho do bebê, pensamos num tema e fica aquele sonho lindo azul ou cor de rosa. Tipo isso:


Eu planejei cada detalhe, arrumei tudo com carinho e enquanto não ficou pronto não descansei. Tola!! Cada minuto que gastei fazendo isso deveria ter lido relatos de amamentação, me informado mais sobre tipos de partos (parto domiciliar, natural, normal, indução e cesária), lido sobre criação com apego e teoria da extero-gestação. Mas não fiz. Com 7 meses o quarto do Davi já estava pronto. Mais ou menos assim:


 


Vou comentar os itens, lembrando que essa lista é baseada nas minhas crenças. Cada um cada um.

Móveis

Berço: O nosso foi emprestado, agradeço aqui de coração ao Thiaguinho que nos emprestou. Mas num segundo filho eu não compraria. Porque sou praticante com muito orgulho da cama compartilhada (agora tá mais pra quarto compartilhado, falo outra hora). E mesmo se não fosse acho a proposta Montessori incrível. Sim bebês sem berço são possíveis.

Guarda-roupa: Eu teria comprado depois, quando o Davi fosse um menino. Fazendo um enxoval mais enxuto como o que eu estou propondo agora o guarda-roupa seria totalmente desnecessário. Já que hoje ele guarda basicamente as Fraldas que ganhamos no chá, algumas roupas nos cabides e coisas sem uso ou raramente usadas. O outro ponto bom de não ter é que se tem mais espaço livre no quarto pra criar um ambiente legal pra brincadeira. Crianças precisam de espaço. Principalmente as de apartamento.

Cômoda: Must Have! Gavetas são a vida, fica tudo ali a mão na hora de trocar. A do Davi tem 4 gavetas grandes e 1 portinha com espaço pra pendurar cabides.Que eu usaria se não tivesse guarda-roupa. Por isso que eu digo que dá bem pra se virar só com a cômoda. Eu re-organizei domingo. E ficou assim: Na primeira fraldas, fraldas de boca, bunda, toalhas fralda e também as de pano (que espero aumentar a quantidade logo). Na segunda as roupas do tamanho atual. Tudo que é de vestir que ele está usando agora. E na  seguinte roupas do tamanho 9 meses e dos tamanhos 12 e 18 meses na última. Na portinha (eu mostrei a foto na parte 1) produtos de higiene e também as roupinhas pra lavar. 

 *Foto de uma gaveta com roupinhas*

Poltrona pra amamentar: Esse item é o mais controverso dos móveis. Porque por 2 meses era o único local que eu conseguia amamentar meu filho. Por causa da cesárea, sim ela foi muito usada. Aliás castigada até descobrirmos a APLV, eu ficava ali balançando o Davi chorando. Mas passado tudo de ruim eu nunca mais usei. Nunca, nunquinha (desculpa, mãe). Eu não quero me desfazer da minha e então usaria de novo num próximo filho. Se voltasse atrás compraria de novo também porque deixa numa posição muito confortável para amamentar um RN. Depois que ficam mais durinhos (com carinha de "resistentes") aí qualquer lugar é lugar de mamar. E o Davi e eu amamos a cama! Deitados, todo mundo descansa. Importante sentar na cadeira e testar se é confortável. Se encosta as costas e coloca os pés no chão ao mesmo tempo.

Mesinha: Esquece! Nunca usei e acho que só atravanca mais o quarto e logo que o bebê engatinha tem que tirar porque vai que ele bate caí tudo em cima dele? Acho que uma boa opção seria um porta trecos de tecido daqueles que vai no braço da poltrona. Pra colocar uma garrafinha de água, uma fralda, etc.

Decoração

Enfeite de porta: Eu gosto do nosso, mas é um extra. Vale a pena priorizar outras coisas. Um passatempo meu durante a indução era olhar os enfeites nas portas dos quartos da maternidade. Pro próximo eu quero que seja feito por mim, mais pra ter um sentido especial.

Abajur: O nosso foi tão fofo. A vó Vera aplicou pinguins que ela mesma fez de feltro. Mas tadinho tá lá dentro do guarda-roupa. Porque não tem onde por, já que a mesa foi embora. Temos um substituto ótimo, baratinho e prático. Um pinguim de tomada :) Ele é um led que acende direto na tomada. Sim uma luzinha é ótimo porque a gente quer espiar o bebê dormindo. 

Kit berço: Por favor não comprem isso!! 400 realidades pra algo nunca usado. Mesmo que se tenha um berço e que o bebê durma nele. É mais uma coisa pra dar trabalho pra mãe. Tem que lavar, arrumar. Além do risco de sufocamento. Se alguém ainda sim quiser um. Eu tenho um novinho pra vender pela metade do preço ;)

Quadrinhos: Não faria. Custam caro. Adesivos sim são bem mais em conta e muito mais divertidos. Legal mesmo é colar a altura do bebê. Já que o quarto é pra ele :)

Cortina: Decora e é funcional. Eu fiz, uma modelo simples e faria novamente. Porque dá pra um charme e dá pra controlar a luz que vem para o quarto. Mas não é essencial, claro.

No fim olha como ficou o quarto do Davi agora (mais detalhes nesse post ) :




Espero que sirva pra alguém :) No próximo quero falar sobre itens relacionados a alimentação e as famosas roupinhas!!!

beijos



Para o meu filho o melhor - Sobre o Enxoval, Dicas de Organização (sei lá) parte 1 - Banho e Troca

Quando estamos grávidas o que não falta é site/blog com lista de enxoval. Eu consumi, como a maioria das grávidas, quase todos os meus meses de gestação fazendo, comprando e arrumando o bendito.
Resumo da ópera: um grande cocô! Porque não tem como saber qual o tamanho do bebê e nem as coisas que serão úteis ou inúteis. E outra essas listas imensas presumem que a gente vai ficar uma inválida por 1 ano? Que não vai poder ir numa loja comprar uma roupinha pro bebê?? Vai entender.
As grávidas que lerem isso provavelmente ficarão irritadas porque nãos será tão divertido quanto uma lista quilométrica, mas eu garanto que vai ser útil e econômico.
Durante a gravidez, que perdia horas procurando os itens do enxoval, pensava para o meu filho só quero o melhor. Hoje eu penso igual porém diferente (oi?) Igual porque continuo querendo só o melhor para o Davi porém diferente do que realmente é esse melhor. Melhor não são móbiles caros, carrinhos ou roupas de marca. Melhor é uma mãe presente, juntinho do bebê. Agora vocês acham que o Davi sabe de que marca são as roupas dele se sente o tal por isso? Claro que não. Mas ele sabe que pode dormir tranquilo que quando ele acordar eu vou estar ali, que ele não precisa nem chorar que já vai ganhar mamá. Ser alimentado de leite materno ao invés de fórmulas, ter alguém dedicando seu tempo exclusivamente a ele sem se preocupar com outra coisa. Isso é o melhor pra ele, o melhor que eu posso oferecer.
Eu resolvi fazer esse post por dois motivos, um que sempre tem alguém me perguntando ( eu também gosto de dar pitaco) sobre enxoval, segundo que eu não sei quanto tempo vai demorar pra eu ter um segundo filho então que fique registrado aqui pra eu não esquecer no próximo.
Eu vou separar umas categorias e dar pitacos gerais. Sobre coisas utéis/inúteis, como eu faço na minha casa e tal.

Higiene e Banho:

Chaleira Elétrica: Ganhei de presente da Jo e da mãe dela, é o melhor item disparado! Sabe aquela garrafinha térmica? Esquece! Essa é muito melhor, em um minuto a água ta quente. Cabe 1,5 L eu encho a garrafa umas duas vezes por semana só. Cada troca é só apertar um botão de deu. Até hoje não substituí a gaze pelos lenços umedecidos em casa por causa dela, é tão prática que eu continuo na gaze e água. Mais econômico e melhor para o meio ambiente

Cestinhas Plásticas: simplesinhas mesmo, são ótimas pra organizar as coisas no trocador e os produtinhos. Melhor comprar nos finalmentes quando já estiver tudo organizado.

Produtos: Gaze, Sabonete Líquido (o de barra não é nada prático), Lenços umedecidos (pra saídas e cocôs bombásticos), Fraldas RN e P (pretendo fazer um post só de fraldas).

Cortador ou Tesourinha de unha, Escova de Cabelos:  A escova é legal procurar uma de cerdas macias, como a da NUK por exemplo. Eu uso cortador, mas há quem prefira tesoura. Uma vendedora me disse assim: Compra qual você já é habituada. Eu gostei dessa lógica. Já adianto que ter cortador e tesoura é desperdício né?

Banheira simples, Balde ou Banheira com trocador? Balde na minha opinião é essencial (independente da banheira) além de ser lindo e render várias fotos deliciosa. Acalma as cólicas e assim que o bebê fica mais firminho (não precisa saber sentar) é uma boa ferramenta pra tomar banho junto. Eu teria num próximo filho uma banheira daquelas com trocador SE eu tivesse 2 banheiros na minha casa. Porque é super prático poder deixar a banheira montada direto dentro do box. Se não tiver eu ficaria só com o balde mesmo, ocupa menos espaço e nós usamos desde o dia que o Davi veio pra casa. Eu tenho a banheira comum, mas uso muito muito pouco.

Maizena: Esquece o bepantol e todas aquelas outras pomadas, maizena é a vida! Cura e previne melhor que qualquer uma delas. É mais natural e não vicia. Sim essas outras belezinhas da farmácia uma vez que a gente usa não pode mais parar. Arrumei um potinho

Termômetro: obviamente se usa, mas pra quem mora em Floripa a gente ganha na maternidade :)

Lixeira com pedal: é ótimo, é prático realmente se usa MAS se atente ao tamanho. Eu uma grávida tola completamente obcecada pela beleza do quarto escolhi a mais minúscula da loja. HAHAHA Em menos de um dia meu querido produtor de xixi e cocô enche aquela maravilha, nada prático. Aí como eu não tenho tempo/saco de ficar esvaziando duas vezes por dia, todos os dias fica a fraldarada toda ali a mostra, nada belo né?

Toalhas Fralda: É vida, é macia, seca rápido. Essencial 3, mas eu teria 6 pra poder lavar mais tranquilamente. Usei até os 3 meses do Davi só elas pra secar após o banho.

Toalhas com capuz: Eu tenho 4 mas fico revezando entre duas. Acho que 3 seria um bom número. Uso direto só essas agora. Troco a cada 3 dias. Dá pra comprar depois que o bebê nascer.

Álcool em gel: Pra todo mundo, inclusive a mãe, passar após lavar as mãos antes de pegar no bebê. Deixe bem amostra para as pessoas lembrarem.

Trocador: Se tiver uma cômoda é legal ter. Eu tenho uso bastante e gosto. Mas já vi quem não tem e vive super bem sem, trocando em cima da cama.

Óleo pra massagens: Eu uso muito. Granado e Natura são os melhores na minha opinião. É ótimo pra fazer uma massagem quando eles tem cólica ou estão trancadinhos.

Cestinha para roupas sujas: Acho legal deixar por último depois que já estiver tudo organizadinho pra saber onde vai colocar e aí comprar o tamanho ideal. Eu curti a minha ideia, uma cesta de vime dentro da portinha da cômoda que funciona como uma gaveta:

Olha a lixeira entulhada, muito lindo só que não


Besteiras: Álcool 70 (ganha na maternidade), Cotonetes de segurança (aquilo não cabe no nariz de nenhum bebê), Termômetro pra banheira (demora demais pra marcar a temperatura, minha mão é mais prática e eficiente), Potinhos de porcelana/ Kit higiene (é só pra comer nosso $$, não é prático, não se usa, acumula poeira. Comprei um cotonete que vem em potinho, bem melhor).

Uma foto de como é o nosso trocador aqui. Eu mudaria apenas a bandeja que fica a chaleira porque ela é de madeira e as vezes derrama água não é muito legal de limpar. De plástico seria ideal. Fica super a mão. Ah o pinguim foi presente das minhas amigas da faculdade (Re, Helo, Elisa e Fernanda) ele toca músicas e projeta imagens no teto. O Davi AMA, mas é um item que fica como sugestão pra presente.


Na bandeja da esquerda: chaleira elétrica, pote cerâmica para colocar a água, fraldas e gaze.
Na direita: perfume, um potinho com maizena, cotonetes, óleo pra massagem, escova de cabelos, cortador de unha, termômetro e uma homeopatia que ele tá tomando no momento.

Volto Logo, tô empolgada com essa série :)



A Laura e o Davi

Nesse dia das mães (tô meio atrasada , eu sei) o Davi e a Laura interagiram muito. Foi muito gostoso de ver e engraçado. Acho que o melhor foi lembrar que eles tem a mesma diferença de idade minha e da marina e que a minha mãe é madrinha dela, assim como a mãe da Laura é madrinha do Davi.
Ele olhava super atento pra ela, que brincava mais sozinha sem dar tanta trela pra ele. Mas peguei ela em uns momentos dando aula pra ele, muito fofa!


Quando a gente estendeu esse edredom ela já quis vir logo brincar também. Mas estava segurando uma bolinha na mão. Aí eu disse: guarda a bolinha Laura porque o Davi pode engolir. Ela guardou, porque ela é assim querida, entende e faz o que a gente pede com jeitinho. Depois passou um tempo ela estava com a bolinha na mão mostrando pra ele: Não pode colocar na boca Davi, é perigoso!
Morri né? Muita fofura.

Vídeos, dos dois pra começar a semana (vou colocar os links, pq o blogger não me deixa por as miniaturas):


Davi fazendo carinho na Laura - Laura compondo






Laura cantando Terezinha de Jesus. Davi Brincando



boa semana, gente!



As Atividades do Davi

Nos primeiros meses por causa da APLV eu tinha PÂNICO de sair de casa. Só saia pra ir em médicos. Depois que as coisas ficaram calmas as atividades foram surgindo e agora ele curte tudo, fizemos amizades e passamos momentos muito legais.

A primeira foi a Yoga começamos com 3 meses, eu fazia Yoga para gestantes com a Suzana na Yogashala. Então o Davi já tinha contato com a prática desde a barriga. No início era mais difícil de ir porque ele tinha que dormir  bem antes porque não conseguia dormir lá, mas agora ele já dorme. Aproveita a aula, reconhece a professora e os amiguinhos.



Depois fizemos a dança no sling no Bazar coisas de mãe e adoramos! Foi uma experiência ótima pros 3. E por coincidência a Juliana começou nesta quarta dança com mamães e bebês lá no Reverbera as 10 horas. Foi um momento ótimo, nos divertimos, relaxamos, até o Felipe ficou melhor da torcicolo. 



E por último hoje o Davi começou na natação!! Já era uma vontade antiga, tanto minha quanto do Felipe. Ele já tinha feito aula lá no Dani Natação e queria muito que o Davi também fizesse. E eu amo água, também fiz natação a muito tempo e acredito muito que essa volta pra água (já que na barriga estavam rodeados de líquido) faz muito bem pra eles. O Davi sempre se mostrou a vontade na água e nos banhos de balde percebíamos que era uma coisa que o acalmava. Mas sempre íamos adiando, até que ele fez isso: http://www.youtube.com/watch?v=P11D-_MxQMQ

Aí morremos de amor e fomos pra nossa primeira aula de Natação. Ele amou, mergulhou já no primeiro dia e nem chorou! Bateu pernas, curtiu todos os 45 minutos da aula. Foi uma delícia! Só temos que organizar melhor a logística do banho, mas no resto 100% aprovado e maravilhoso.







Tem mais um monte de foto e vídeo dele mas quero contar melhor em outro post. Olha ele nadando nesse vídeo, que fofo: http://www.youtube.com/watch?v=yKkwxx-WRfU&feature=youtu.be






5 meses e as reações

Hoje o Davi completou 5 meses e posso dizer que a cada dia que passa tem sido melhor. Os desafios mudaram, claro. Primeiro ele mamava vááárias vezes ao dia, mas também dormia boa parte do dia. Hoje ele é super objetivo nas mamadas porém passa bons períodos acordado e nesses períodos quer atenção e brincadeira. A gente se vira pra inventar, saí pra passear, mostra janela, coloco no sling e vai junto guardar a louça, pendurar roupa. Mas o mais divertido e gostoso tem sido as reações dele. Sabe aquela lei de Newton transformada em ditado "toda a ação tem uma reação"? Poisé o dendenko aprendeu e agora não há mais nada que passe por ele sem que ele demonstre seus sentimentos e opiniões.
Ele se joga pro balde, acorda o Felipe, ri quando vê o peito, vira a cara pro peito quando não tá com fome. Grita pra chamar a gente, estende a mão pra água no chuveiro. Se vira e procura as nossas vozes. Já sabe que o nome dele é Davi e também reconhece os mil apelidos dele. Tem um caso louco de amor com o Felipe. Sério, é fofo demais de ver. Ele já sabe que a mãe é tipo sono, fome, banho, aconchego. Quando ele quer zoeiras é direto com o pai. As vezes ele dá gargalhada só do Felipe entrar no cômodo.
Ele faz carinho, puxa o nariz eu quase deixa a gente cego! Continua sendo um anjo, chorando super pouco.
Mas agora ele FALA, sim! Eu ainda tô tentando uma matrícula no curso de Davizês e olha gente é super complexo. Mas sei pela entonação (chique né?) se é falando feliz, reclamando, com sono...
Continuamos a amamentação exclusiva, dieta sem leite de vaca e nem traços e rumo aos 6 meses sem provar qualquer outro alimento (sim, nem sentir o gostinho ainda não rolou).
Tá muito bom, mesmo. Não quero mais nada da vida, só ele pode?
























O Sábado mais bonito da Cidade

Marcadores:
Quero começar esse post indicando um vídeo lindo, feito por mães para mães. Uma iniciativa linda.



Nós queríamos muito ter participado e enviado nosso vídeo, mas eu estatava off. Me emocionei demais quando vi o vídeo.

E sábado era dia de Bazar coisas de mãe, estava planejado um bate-papo com a Dra Relva (Autora do Livro da Maternagem) e uma oficina Slingar e Dançar. Eu já fui algumas vezes no bazar, mas essa eu não poderia perder. Como domingo já estava reservado para uma ida nossa a Tijucas passar o dia das mães com a minha mãe e bisa do Davi. Institui que sábado seria do dia das mães da Laís, e já avisei os meninos por aqui o que eu pretendia fazer.
Acordei com meu maior e melhor presente do mundo querendo mamar. Logo depois o Felipe chega no quarto com um café da manhã no capricho! Delícia :) Tomei café e voltei a dormir mais um pouco com o Davi. O Felipe saiu para comprar os ingredientes do meu almoço surpresa e eu e o Davi brincamos, arrumamos as malas e testamos a nossa fralda de pano nova.


O meu almoço surpresa era fondue!!! Com direito a fondue de chocolate sem leite de vaca, colocamos a mesa na sacada e deu pra curtir o sol que estava lindo por sinal.
Saímos na maior correria para não perder o bate-papo. Porque EU PRECISAVA conhecer a Dra Thelma pessoalmente, eu ansiava por isso a semana toda. Pensa num adolescente conhecendo um ídolo, eu estava assim, eufórica! Chegando lá encontrei amigas mães e conheci outras. O Bate-papo foi simplesmente incrível, ela não era como eu imaginava era muito melhor. Falamos de cama compartilhada, sling, e o ponto alto foi a necessidade da vivencia em comunidade para que a criação com apego seja possível. Essas discussões, conhecer essas pessoas, essa forma de viver e a maternidade estão mudando a minha vida em todos os aspectos e me motivando a trilhar outros caminhos. No final teve sorteio de brindes, eu que NUNCA, NUNQUINHA ganhei nada em sorteios, ganhei uma caneca lindona da Pediatria Radical. Preciso dizer que amei? <3
Em seguida veio a oficina slingar e dançar, uma das sensações mais deliciosas que eu já experimentei na minha vida! Todos dançando, mães com bebês, gente sem bebê, um pai sem bebe (o Felipe) e um pai com uma menina maior, todos em círculo dançando. O Davi amou, dormiu como um anjo. Acabou já era fim do dia.
Entramos no carro pra vir para Tijucas e eu perguntei para o Felipe: Essa tarde de hoje também te fez acreditar num mundo melhor? Ele sorriu e disse sim.
Eu acredito num mundo melhor, acredito no poder de todas essas mães e pais que estão criando seus filhos com amor e muito "apego".  Espero que viver o suficiente para morar numa aldeia formanda por gente assim.
Obrigado ao me filho por ser o melhor presente recebi, obrigado ao Felipe pelo dia, obrigado ao Bazar Coisas de Mãe por me proporcionar essa experiência, obrigada a Dra Relva pela conversa e por me deixar mais certa de minhas escolhas.





Como tudo aconteceu - Como eu nasci contado pela minha mãe


38 semanas.Meu prazo era de 07 a 10/07.
Estava calma,como sempre,perder noite de sono nem pensar.
Arrumando o quarto,lavando as roupinhas.
02/julho levantei e fui ao banheiro sinal de sangue,mas não estava sentindo nada.
Não falei pro Maurioni,ele foi trabalhar e eu fiquei limpando a casa levantando umas cadeiras pesadas. A Salete apareceu, comentei com ela ,mas não me preocupei a tarde tinha consulta.
Depois do almoço fui pra consulta.Dr Pacheco examinou e disse que se eu precisasse durante a noite era só chamar,senão pra vir na próxima manhã bem cedo na maternidade.
Fui pra casa da mãe fiquei deitada,dor muito fraquinha.
Quando o Maurioni saiu de serviço me pegou e fomos pra casa.Sopinha da mãe e cuidados com higiene com a Nice.Dores poucas.tudo bem.
Maurioni pintando o quarto que nossa reforma não tinha acabado.
Por volta da meia noite veio deitar e começamos a contar as contrações,por fim dormimos.
Acordei por volta das 6 da manhã,frio,a janela tinha ficado aberta por causa do cheiro da tinta.
Tomei banho,toda pronta e voltei pra cama. Maurioni levou maior susto eu toda arrumadinha,quietinha ,sentada na cama.O Pai e a Mãe vieram apavorados saber de mim.Surpresa ainda estava de pé.
Fomos pra maternidade,Dr Pacheco examinou e disse que ate meio dia nascia.
o mais triste sala de pre parto no soro sozinha.Vinham as contrações e eu sozinha,me agarrava ao sino da Igreja e minhas orações.
Esta na hora...humilhante ir pelo corredor frio descalço com aquela camisola ridícula. Ninguém me ajudou.
E agora é a hora..."quando sentir vontade faz força"..."não vou fazer"...quem disse era a Lala querendo conhecer este mundo...segurava a mão da pediatra era tirava,queria uma segurança,mas foi nos duas mesmo (mãe e filha ),nossa primeira demonstração que juntas podemos muito.
Em poucos instantes meu grito,desculpas,mais um,e la estava ELA...
Aquele rostinho lindo,rosado macio,sem choro,ao meu lado se aninhando em mim.
Amor a primeira vista,rostinho bem redondo.A pele linda,nada haver com a pele da mãe.Sensação maravilhosa, agora novo mundo se abre...MENINA.
Errei tinha certeza que era um menino e, então minhas certezas começaram a cair por terra.
Que bom,sendo mãe da Lais muitas certezas caíram por terra e,muitas oportunidades me surgem a cada dia de aprender a viver e a sr feliz.
Obrigada filha por me ensinar,desde aquele momento magico que a vida é uma surpresa a cada dia.Nosso olhar é que faz estas surpresas serem do bem e para nossa felicidade.
Bjos FELIZ DIA DAS MÃES....




"Mãe, obrigada por tudo. Principalmente por estar ao meu lado e me apoiar sempre. Obrigado pela preocupação comigo, pelo carinho. Te amo, feliz dia das mães. Beijos Laís"



INTERROMPEMOS A PROGRAMAÇÃO PARA MAIS APLV




Lembra da semana das mães? Pode esquecer dela. Suspende a música (que eu ia gravar), suspende as homenagens, suspende tudo. Porque ontem eu recebi um e-mail do Gastro de Curitiba assim:


"Oi Lais
Estou fora do pais em um congresso. O ganho de peso foi fantastico!!
Vamos comecar a liberar proteina do leite de vaca na sua alimentacao Não para o Davi). Escolha uma boaa pizzaria e bom proveito!
Me de noticias em 1 semana."


Quem curte a gente no facebook já tinha visto esse e-mail e a galera toda saiu comemorando menos eu. Simplesmente porque não significa N-A-D-A. Não é porque ele me "deixou" que o Davi está curado, aliás esse teste é somente para colocar uma certeza absoluta no diagnóstico.
Depois de ler o e-mail dele eu saí da casinha, sério. Eu fiquei tão nervosa, sem saber o que fazer que na hora já saíram bolinhas nas minhas mãos e começaram a coçar.
Eu ainda não sei o que fazer, então esse post nada mais é para dizer que eu vou ficar ausente do blog por essa semana, pra pensar. Talvez eu volte antes se eu estiver me sentindo melhor.
Prevejo um encontro com as minhas sombras.

beijos, até logo.



Quando nasce um bebê, nasce uma mãe.

Para a primeira postagem da minha semana das mães eu pensei primeiro em escrever sobre a minha mãe, afinal sem ela eu não teria nascido e por consequência o Davi também não. Não querendo ser egoísta mas já sendo, pensei: Mas se eu não fosse mãe, eu jamais iria ter a noção disso. E achei por bem começar comigo mesmo. Lembrei do momento antes do Davi nascer que eu pensei que fosse morrer e que a Cris me disse que realmente eu ia e ia nascer mãe. Não sei se ela sabe mas foi uma das frases mais marcantes da minha vida. Então achei que eu merecia contar a história do meu nascimento como mãe porque o do Davi eu já contei aqui.

Era campeonato Catarinense e eu estava saindo da aula e resolvi passar no Centro Acadêmico do meu curso no qual eu era na época vice-presidente. Como era de costume estavam todos os nossos amigos lá, era nosso ponto de encontro. Estava rindo, conversando até que estava perto de começar o jogo. Me despedi de todos, e eles dizendo pra eu e o Felipe ficarmos. Quando eu disse:  Jamais, vou pra Nina ( o bar) não perco esse jogo nem morta. Ô boca! Saindo dali escorreguei no primeiro degrau e fui parar no último daquele lance. Quem viu disse que foi cena de novela. Foi um apavoro, passei algumas semanas na cama, com muita dor, entupida de remédios. Não morri, mas quase. Alguns médicos comentaram que saí ilesa só por um milagre. Perdi o jogo e o Figueira também. Por causa da queda fiz uma bateria de exames e entre eles uma tomografia onde o Neurologista achou minha hipófise maior que o normal, encaminhou para um endocrino. Que logo já deu o diagnóstico dele: prolactinoma, tumor na hipófise (médicos me trollando since ever?? ). Ele pediu uma série de exames de hormônios, mas nem cogitou pedir um beta HCG, mesmo eu falando que a minha menstruação estava atrasada. Minha mãe (ai mães e seus instintos, que eu só entendo agora) disse faz o teste de gravidez junto com esses exames. E foi junto com ela que eu abri o resultado, em algum dia de abril. Na quitinete que eu morava sozinha no córrego, eu e ela no meu celular vendo um positivo minúsculo na tela do smartphone. Um positivo que ira mudar a minha vida, eu sabia. Mas eu não fazia idéia de como. E foram 40 semanas, intensas. De choro, de preconceito ( na maior parte vindo de mim mesma) por ter engravidado nova, de alegrias e de mudanças, muitas. De humor, de ideia, de vida, de casa, de corpo, de tudo! Comecei a gestação desejando que me dopassem, me cortassem e me acordassem só com o bebê nos braços. Terminei desejando um parto natural sem intervenções que respeitasse meu bebê e meu corpo. Primeiro quis viajar pra comprar enxoval no exterior, terminei desejando ser menos consumista e querendo mostrar pro meu filho que o que ele precisa pra viver não se compra, amor. A coisa que eu mais fiz em 40 semanas foi mudar. Amém! "Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo" E numa terça-feira a noite meu celular tocou, era o obstetra pedindo que eu o encontrasse no dia seguinte na maternidade. Não consegui dormir! Ansiedade de conhecer aquele serzinho que me habitava, foram 36 horas. Longas horas. E nas últimas eu conheci um amor, e ainda não foi o de mãe. Foi o de companheiro, foi o do Felipe. Abraçados eu cantei pra ele uma música, uma única música que hoje me une a 3 pessoas especiais. A minha prima Marina (que pra mim é uma irmã), que foi quando conheci essa música, nós cantávamos ela quando eramos crianças e eu amava imaginar a história que a música conta. Durante a gravidez eu cantava essa música para o Davi e horas antes da cirurgia que me trouxe o Davi eu dividi ela com o Felipe. Foi lindo, jamais vou esquecer o que eu senti naquele momento, foi como viver um filme, o meu filme. Ali começou a minha transformação.


Um Pequenino Grão De Areia
Que Era Um Pobre Sonhador
Olhando o Céu Viu Uma Estrela
E Imaginou Coisas De Amor

Passaram Anos, Muitos Anos
Ela no Céu e Ele no Mar
Dizem Que Nunca o Pobrezinho
Pode Com Ela Encontrar

Se Houve Ou Se Não Houve
Alguma Coisa Entre Eles Dois
Ninguém Soube Até Hoje Explicar
O Que Há De Verdade
É Que Depois, Muito Depois
Apareceu a Estrela Do Mar




Aí me teletransporto pro momento que um pano azul abaixou e eu vi os olhos mais brilhantes e meu coração encheu como se fosse explodir, mas coração de mãe sempre cabe mais amor. Infelizmente ou felizmente nenhuma das fotos que foram batidas captou esse momento, vai morrer comigo na minha mente, jamais esquecerei. Todos os dias antes de dormir eu fecho os olhos e "olho" essa fotografia que só eu tenho acesso e agradeço pelo filho que tenho, pela vida que tenho e abençoo meu anjinho que já está dormindo bem juntinho de mim. Eu nasci ali, quando aquele pano abaixou e eu vi aqueles olhos, que hoje vejo que são iguais aos meus.  Eu nasci quando senti aquele cheiro de bebê, que não se compra em supermercado algum. Quando toquei aquele pele mais macia que qualquer cobertor fofinho. Eu descobri o que é ser mãe quando abraçava ele forte numa crise de choro por causa da alergia tentando pegar a dor dele pra mim. Quando me pego mesmo cansada, com fome, parada olhando pra ele  namorando aquele soninho. Desejando que cada mamada seja eterna, desejando que ele caiba pra sempre no meu colo. E ele caberá mesmo tendo 40 anos. Ele veio pra mim sem querer e mostrou como é querer alguém mais que a si mesmo. Eu quero nascer todos os dias de novo, pra ser cada vez melhor pra ele!






semana das mães

Ser mãe foi a melhor coisa que me aconteceu, sem dúvida alguma. Acho que por isso que eu estou aguardando ansiosamente o próximo domingo dia 12 de maio. Vai ser meu primeiro dia das mães como mãe de verdade. Já passei um com o Davi na barriga, mas acho que não conta, porque eu não sabia aliás eu não fazia ideia do que era ser mãe.
Então motivada por toda essa empolgação materna eu resolvi que vou fazer uma postagem por dia essa semana nem que seja de madrugada, tudo sobre um único assunto: mãe

Boa noite, até amanhã!!

Não deveria se chamar amor - Paulinho Moska


O amor que eu te tenho é um afeto tão novo
Que não deveria se chamar amor
De tão irreconhecível, tão desconhecido
Que não deveria se chamar amor

Poderia se chamar nuvem
Porque muda de formato a cada instante
Poderia se chamar tempo
Porque parece um filme a que nunca assisti antes

Poderia se chamar la-bi-rin-to
Porque sinto que não conseguirei escapulir
Poderia se chamar a u r or a
Pois vejo um novo dia que está por vir

Poderia se chamar abismo
Pois é certo que ele não tem fim
Poderia se chamar horizonte
Que parece linha reta mas sei que não é assim

O amor que eu te tenho é um afeto tão novo
Que não deveria se chamar amor
De tão irreconhecível, tão desconhecido
Que não deveria se chamar amor

Poderia se chamar primeiro beijo
Porque não lembro mais do meu passado
Poderia se chamar último adeus
Que meu antigo futuro foi abandonado

Poderia se chamar universo
Porque sei que não o conhecerei por inteiro
Poderia se chamar palavra louca
Que na verdade quer dizer: aventureiro

Poderia se chamar silêncio
Porque minha dor é calada e meu desejo é mudo
E poderia simplesmente não se chamar
Para não significar nada e dar sentido a tudo





Eu Apoio!

A mãe do Davi

Minha foto
Mãe do Davi, esposa do Felipe, que viu e vê sua vida e crenças viradas de cabeça pra baixo depois da maternidade. E adora repensar sua forma de maternar. Com o sonho de morar num mundo melhor.

Postagens populares

Nós lemos

Nome

E-mail *

Mensagem *