Refluxo: A guerra continua

Davi ainda não achou a Juju, mas tudo bem!

Contei aqui como descobrimos e estávamos tratando o refluxo do Davi. Após iniciarmos a medicação nova tudo pareceu melhorar drasticamente. Segunda-feira (21/01) começamos a medicação nova, na quarta ele já estava super melhor. Passamos o dia no shopping com a Júlia e foi só alegria, nada de crises de choro, na quinta-feita também foi tudo tranquilo. Sexta-feira as coisas começaram a piorar e piorar MESMO. Crises curtas porém várias vezes ao dia, domingo a noite nada acalmava ele, custou a dormir e dava para ver no olhar dele o sofrimento. Fui dormir arrasada. Nessa segunda já começamos a manhã com um crise forte, da braba. Decidimos que não dava para esperar algo tinha que ser feito urgente!
Começei a ligar para todos os médicos a procura de um gastro que nos ajudasse, depois de pedir ajuda para muitos conhecidos e pessoas queridas conseguimos uma consulta para o final do dia.
Esperamos horas pela consulta, a clínica estava cheia e o Davi super instável. Não conseguia descansar. Finalmente fomos chamados no consultório, a consulta foi a luz no final do túnel. A médica foi super atenciosa, me ouviu, discutimos todas as hipóteses baseadas na minha observação.
Pelas crises se intensificarem ao final do dia, ela suspeitou de cólicas de fim de dia ou talvez Alergia a Proteína do Leite de Vaca. Essa proteína é de difícil digestão para os bebês e vem para o Davi através do meu leite pelas coisas que eu como. Me disse que ele estava super bem medicado para o refluxo, elogiou a conduta da pediatra. Ficamos ainda com o mesmo tratamento para o refluxo, minha alimentação ficou mais restrita, e medicamos o Davi para as cólicas. Fiquei com o compromisso de observar e voltar na quarta-feira (30/01). Peguei uma cadernetinha, as receitas médicas e vim pra casa, com uma folha de tudo que não podia comer. Passamos a terça-feira fazendo a notações e quarta arrumamos nossas coisas para voltar para casa e retornar a médica. No retorno, ela sempre atenciosa, li as minhas anotações e tivemos a mesma opinião, uma possível APLV, as cólicas estavam agravando a situação porém o refluxo e a esofagite ainda persistiam. Agora seguimos dietando, observando e medicando e principalmente orando para o nosso pequeno guerreiro melhorar. Vamos juntos nessa filho, mais uma vez!