E o bico?

Eu ia começar essa postagem assim:
Oi meu nome é Davi e há  3 dias não chupo bico.
Mas achei mais apropriado começar assim:

Oi meu nome é Laís e há 3 dias não dou bico pro meu filho Davi.
Porque não é ele que é viciado no bico, somos nós! Eu sempre não quis dar bico pro Davi, mas as circunstâncias da vida me levaram para isso. Por causa da APLV ainda não diagnosticada sucumbimos a feiosa (apelido "carinhoso" que colocamos na chupeta). Eram horas seguidas de choro, então nós queríamos qualquer coisa que o acalmasse. O problema é que nós fomos ficando mal acostumados, sem dúvida é uma mão na roda. Mas é o custo desse benefício todo? DESMAME. É não é regra que todo bebê que chupa chupeta desmama precocemente, mas aqui isso já estava começando a dar as caras. Principalmente porque o Davi não é um bebê guloso, então o bico realmente o distraía e acabava com uma potencial mamada.
Desmame para nós não é uma opção, porque eu não quero, porque não é o melhor pra ele e também pela APLV. Após uma conversa com o Felipe decidimos, vamos parar de dar o bico (sábado a noite). E querem saber ninguém sentiu falta, muito menos o Davi.
De fato tem me exigido bem mais, ontem terminei o dia esgotada e acho que vai levar um dia ou dois até que  a produção de leite se ajuste a nova demanda. Combinamos que ainda vale usar o bico em situações de crises muito forte que ele rejeite o peito ou quando ele chora muito e eu não estou. Por enquanto vai ficar apenas como um recurso para quem fica com ele (Felipe ou a minha mãe) mas são ocasiões extremamente esporádicas. O Felipe não recorreu ao bico, já que ele sempre foi o mais contra. Por enquanto está indo super bem. Vamos ver como segue. Quero comparar o ganho de peso antes e depois, acredito que essa semana ele ganhará bem mais :)
Ah, segunda-feira vamos a Curitiba, então vamos ter mais novidades no tratamento do Davi