O dia que eu saí de casa, pela segunda vez

Foi bem mais difícil que a primeira.

Nessa mesma época carnavalesca em 2009 eu estava trazendo as minhas coisas para a Ilha da magia onde seria a minha nova residência e num futuro próximo onde eu formaria a minha família (essa parte eu ainda não sabia). Era tudo alegria, festas, faculdade, trotes, pida (RIP :/). Tá eu senti falta dos meus pais mas não sei na época eu não tava tão emocional. Ou melhor, eu não era mãe, aí a diferença.
Desde que o Davi nasceu nós ficamos lá na casa dos meus pais, foi essencial essa ajuda porque com certeza eu e o Felipe iríamos surtar sozinhos com tantas dificuldades que enfrentamos. Quarta-feira (31/01/13)  passada foi o dia de fazermos as malas e voltarmos para a nossa casa. Já que o papai do Davi voltou ao trabalho segunda. Foi difícil dizer tchau, as malas pareciam mais pesadas do que realmente eram. Metade de mim queria voltar, metade queria ficar, pra sempre!
Eu sei que eu vou vê-los sempre, mas não deu pra controlar a saudade antecipada. Fiquei triste por tirar o Davi do convívio diário deles, fiquei triste por eu não estar lá todo dia. Fiquei com medo de não dar conta da vida sozinha, me senti como o Davi. Com dificuldade de cortar o cordão umbilical, com medo da separação. Chorei até chegar em casa, Davi me olhava com cara de quem não entendia nada.
Mas fiquei feliz depois que cheguei na minha casa, afinal graças a eles hoje eu estou começando a minha família. E espero que um dia o Davi possa sentir o que eu senti neste dia.
Pai, Mãe, vocês são demais! Obrigado por tudo! Amo vocês!